"Síndrome genito-urinária da menopausa": um conceito que não serve os interesses das mulhe


Desde a sua introdução, este conceito tem sido amplamente usado, sem que a maioria se tenha detido a avaliar quais as motivações para tal, ou quais as suas potenciais consequências. O conceito é problemático, logo desde a sua génese, porque não entra na definição de "síndrome".

Ainda que tenha sido criado sob uma aura de que seria um termo mais abrangente, menos melindroso e ofensivo (do que "atrofia vaginal" ou "vaginite atrófica"), na realidade, leva a uma iatrogenização da menopausa e a que maioria das mulheres pós-menopáusicas passem a estar "doentes". Assim, abre-se o caminho para que tratamentos pouco ou nada testados entrem no mercado, como solução mágica para algo que, até aqui, era fácil e barato de tratar...

Para mais informações, consulte o nosso recente artigo sobre o tema (aqui), intitulado "Deconstructing the genitourinary syndrome of menopause", publicado no International Urogynaecology Journal e resultante de uma interessante colaboração com a Drª Claudia Marchitelli, a Drª Hope Haefner, o Prof. Gilbert Donders e o Prof. Faustino Pérez-López.

Featured Posts
Recent Posts