LASER para tratamento da atrofia vaginal?

Desde há alguns anos que o LASER, e mais recentemente a radiofrequência têm sido comercializados com o intuito de tratar a incontinência urinária, líquen escleroso, vulvodinia, atrofia vaginal/realizar "rejuvenescimento" vaginal, etc.

Apesar de todas as promessas em torno destas tecnologias, não existe suporte científico para tal: não está provada a eficácia e há sérias dúvidas quanto aos riscos a longo prazo. Os poucos estudos realizados padecem de sérios problemas: séries pequenas, sem grupo de controlo, não independentes, não randomizados, curto tempo de seguimento, etc.

Assim, a FDA e diversas sociedades internacionais têm verbalizado as suas reticências relativamente a estas tecnologias, desaconselhando o seu uso até que haja evidência científica que o suporte.

Tem-se tentado gerar a dúvida que o LASER não serve para "rejuvenescimento", mas que é útil para o tratamento da atrofia. Trata-se de uma questão igualmente sem suporte científico, com um objectivo, essencialmente, comercial.

O tratamento da atrofia vaginal pode ser realizado de forma eficaz e segura com estrogénios vaginais - inclusivamente com estudos demonstrando a segurança das doses ultrabaixas, mesmo em mulheres com história de cancro da mama (tal deverá sempre ser discutido com o médico assistente).


Posição da FDA aqui.

Declaração da ISSVD/ICS aqui.


Featured Posts
Recent Posts